terça-feira, 19 de outubro de 2010

Shakespeare for ever...

O poeta e dramaturgo Willian Shakespeare sem dúvida é um dos melhores escritores da história do teatro. No século XVI haviam outros dramaturgos, porém a genialidade de Shakespeare perpassou o tempo até a nossa era para nos contar as histórias de seu tempo.
O fato das obras do dramaturgo inglês terem tanto êxito nos dias atuais se deve ao conteúdo altamente contemporâneo de seus enredos, a essência de suas obras tem a profundidade da alma humana. 
Prova disso são os pensamentos existenciais de "Hamlet", ou o amor incondicional de "Romeu e Julieta", a cobiça que invenena a alma em "Rei Lear", todos pensamentos oriundos do profundo emocional da alma humana.
As histórias criadas por Shakespeare sempre são encenadas e reencenadas, não há tempo ou lugar para que algum diretor enxerge o brilho de seus textos. 
A teatralidade contemporânea vêm criando releituras das peças Shakesperianas de forma a explorar as possibilidades cênicas ao extremo e oferecer ao público uma estética diferenciada de suas obras.
O Grupo Galpão de Belo Horizonte logrou grande êxito em sua montagem de "Romeu e Julieta", grande sucesso de crítica e público. A peça conta a história apaixonada do casal Romeu e Julieta, porém de forma diferente e inusitada, a linguagem das roupas, maquiagem e movimentos dos atores ganharam um toque de circo e traços da comédia dell'arte, os objetos e adereços cênicos ganharam função significante no espetáculo onde todos os atores andavam em pernas de pau e tocavam lindamente instrumentos musicais. Outro elemento importante nessa diversificada montagem foi o cenário composto por um carro, os usos para esse cenário pareciam infindáveis, abriam-se portas, janelas, o teto do carro virava palco, etc. 
A musicalidade do espetáculo também foi muito bem tecido com cantigas populares e aquele toque instrumental e vocal especial que só o Grupo Galpão consegue realizar com tanta destreza, a destreza era tanta que o ator Eduardo Moreira andava de pernas de pau com uma mão segurando um guarda chuva e a outra mão tocando acordeon, magnífico!
O Galpão é apenas um dos exemplos das várias releituras que vem sendo feitas das obras de Shakespeare e que com certeza continuarão sendo feitas, pois se trata de um grande poeta que decifrou o íntimo dos sentimentos humanos e conseguiu, assim, que sua obra fosse eternizada nos corações de quem as leem.     
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário